Quinta-feira foi dia de conhecer uma festa rá lá de legal. Pensa num lugar super top e com uma galera animada e que curte a festa do começo ao fim? A festa Open Bitch comemorou um ano em São Paulo. E o mais interessante é o conceito que eles usam para embalar as noites da capital:  a sexualidade e a ousadia andam juntas a ponto de despertar os sentidos de quem está ali naquele momento.

O tema desta edição, foi máscaras, dando aquele gosto de surpresa e mistério sabe?

E nesse role mais do que top, meus queridos, o Blog Barba e Gravata conheceu o Moises Lopes, 26, hostess da festa.  E deu para perceber que ele realmente ama a festa e contou para nós como começou todo o seu contato com a festa. “Tudo começou com uma competição que rolou na última Open Bitch antes dessa eles abriram a inscrição para um concurso no qual escolheria o próximo hostess da festa de 1 ano e mais alguns prêmios. Ganhei esse concurso nas três plataformas que eram exigidas, votação na internet, votação no público no dia e da equipe técnica”, conta.

Com isso já deu para ver que ele foi bem recebido por todos que frequentam e também pela equipe organizadora. “A recepção é singular, já trabalhei e participei de outras festas, porém a recepção que a organização da Open Bitch teve e tem comigo é sem igual, agradeço ao Milton todas as vezes no qual o vejo pois ele é um ser humano com pé no chão e que recebe a todos de braços abertos, sinto que se ele pudesse abraçar o público inteiro da festa, ele faria. Agradeço a todos da organização pelo carinho, o Alex que foi o fotografo e que me ajudou muito, ao John por todos os toques, a Thereza Rainha e soberana, Luiz que me recebeu e me deu ótimos toques, e principalmente ao Milton, só me resta gratidão. Conheço a Open Bitch a uns 3 meses já, e além de ter uma pegada mais madura, mais fetiche, preciso concordar também que as bebidas são bem diferenciadas, com um preparo de maior qualidade que a maioria dos concorrentes que existem na noite paulista. O público é mais maduro e possui a mesma diversidade que atualmente eu busco, drags, mulheres, homens, lésbicas tudo junto no mesmo lugar sem segregação alguma, as pessoas vão lá para realmente se divertir sem se preocupar com nada”, explica.

Eai meus queridos, gostaram? Então faz o seguinte, segue a Open Bitch nas redes sociais que na próxima edição, encontramos com vocês por lá!