Neste mês é celebrado o  Setembro Amarelo, campanha criada pelo Centro de Valorização da Vida em 2015, em parceria com o Conselho de Medicina e a Associação Brasileira de Psiquiatria, com o objetivo de informar as pessoas sobre o suicídio, uma prática que na maioria das vezes, pode estar associada à dificuldade de lidar com frustrações, bullying, pressões sociais, falta de atenção, depressão, ansiedade e questões sobre a sexualidade. No Brasil, a cada 45 minutos, um brasileiro tira a própria vida e essa é a quarta causa mais comum de morte entre jovens. Entre adolescentes com idade de 10 a 14 anos, esse tipo de prática cresceu 65%, e 45% entre pessoas de 15 a 19 anos, de 2000 a 2015, de acordo com a pesquisa do sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, da faculdade Latino Americana de Ciências Sociais, com base de dados no Ministério Público. O assunto é um tabu para a sociedade, precisa de bastante atenção e, principalmente, de diálogos, para que as pessoas conquistem o equilíbrio emocional com tratamentos especializados, para combater esse tipo de atitude .